A influência dos vídeo games na vida social, parte 2

consoles
consoles

Como eu havia falado no post anterior, muitas pessoas tiveram experiências digamos que “prazerosas” com nosso querido Atari, que chegou em nossas mãos muitas vezes pelo Paraguai.

Só que o Atari chegou meio que tarde no Brasil, tanto que a geração do meio, Atari 5200, Coleco entre outros, nem chegamos a ver por aqui. O que fazer numa época em que o comércio exterior estava fechado, nossas poupancinhas congeladas por um presidente Colorido e um dinossauro chamado inflação estava comendo o que sobrava!? Talves jogar um dos jogos mais difíceis que jogamos, na década de 90 o maior jogo de ação era sobreviver no Brasil.

Bom, já que a gente não tinha pra onde correr, quer dizer, importar, a sorte era fazer nós mesmos, como? Plagiando descaradamente os consoles gringos, surgindo então os Turbogames, Dynavisions da 2ª geração popular do Brasil.

Pra pessoas como eu que morava em uma pequena cidade do interior, nem cheguei a ver seu lançamento. O Atari 2600, na verdade seu clone, o VG3000 da CCE comprado por meu pai, ficou funcionando por um bom tempo, até que em 97 ou 98, (não me lembro muito bem) comprei o que seria um belo de um upgrade, o Mega Drive (sim, com a quebra do Brasil, não vi passar a 2ª geração).

O que aconteceu nessa época? Primeiro, eu vi o Brasil com uma moeda forte depois de tantos anos e zeros cortados, (atualmente estamos utilizando a mesma moeda de 15 anos atrás pra se ter uma idéia) com isso as empresas brasileiras tiveram forças, as importações foram abertas e a tecnologia chegou, eu pude ver o que era o Dynavision e passei várias horas atirando com sua pistola. Vi também o que era se ter o nintendinho 8 bits, um console muito bom, mas que infelizmente chegou tarde no Brasil e teve vários problemas com cartuchos que não pegavam. Um colega meu tinha um que só rodava o Mario 3 (aquele do Tanuki, ou raposinha) e quando se colocava um outro jogo ele ficava restart sem parar.

O que isso tudo mudou em nossas vidas? A resposta é simples: Nessa época de MasterSystem (com Alex Kid na memória) e NES, surgiram as primeiras locadoras de games, na verdade, as locadoras de VHS passaram a comprar jogos de NES e Master. Pra nossa sorte, tínhamos que andar (ou pedalar) um trajeto de 1,7 km, de nossa casa até a locadora e rápido pra poder pegar os melhores jogos na sexta e devolver na segunda, isso quando ele funcionava, às vezes dava erro e a gente tinha que voltar uma, duas até três vezes até achar um que funcionasse, talvez meu maior trauma é nunca ter jogado Zelda Gold edition, aquela do cartucho dourado, pois não rodava. A moça tinha uma ficha nossa com os jogos que deram pau, pra se ter uma noção de como era. O que isto nos ensinou? A andar, pedalar e fazer exercício, também ensinou a arte da paciência (esquece a do computador), a arte do virar um jogo, pois fitas novas eram caras, no meu Mega mesmo eu tinha 3 Sonic 2, Knuckles (pirata) pois a original era uma fortuna e superstar soccer deluxe, isso porque o cara me entregou a fita errada. A superstar soccer custava 26 dolares e a deluxe 36, comprei a normal e veio a deluxe, ganhei não o dia, mas o ano.

Virar um jogo que você tinha não era uma opção, ou você jogava até passar o ultimo chefe, ou juntava moedas pra alugar uma fita no final de semana por R$2,50 (lembrando que 1 real valia exatamente 1 dólar) então o aluguel de uma fita valeria hoje cerca de quase 5 reais. Para nós que éramos crianças, 2,50 valia mais que as barras de ouro do Silvio.

O que restava era a paciência, o estudo, e o principal, que era definir uma boa estratégia para passar uma fase.

Resumindo, o que aprendemos no meio desse caos de gerações de games foi que tudo era difícil, mas com força de vontade e uma boa estratégia vencíamos qualquer obstáculo e a alegria era verdadeira, pois enquanto um jogava, o outro traçava a melhor estratégia e torcia pelo companheiro, algo que talvez falte hoje nos grandes projetos das grandes corporações, um parceiro que mesmo não jogando, está do lado te dando as dicas e torcendo por você, fica a dica.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s